Expedição Coltur Vilcabamba 2013

Como a maioria de vocês provavelmente sabe, em fins de junho e representando COLTUR Peru, participei de uma expedição focalizada na exploração de uma série de sítios incaicos nunca antes explorados, na remota cordilheira de Vilcabamba.

Sem dúvida, esta expedição de 18 dias não só foi a viagem mais incrível que já fiz, como também a mais exigente, do ponto de vista físico e mental.

Tivemos mais do que qualquer um dos membros da expedição pudesse prever em aventura, mau tempo, incerteza, perigo, descoberta de sítios incaicos e pré-incaicos, mas, sobretudo, em camaradagem entre os membros da expedição e a maravilhosa equipe de cozinheiros e carregadores, aspectos desta viagem que nunca esquecerei.

Peter Frost, o líder da expedição, pesquisa a área há vários anos, desde 1999, para ser exato, e, no processo, descobriu importantes assentamentos incaicos. O objetivo desta expedição, em particular, não foi somente pesquisar mais a fundo algumas das descobertas anteriores de Peter, mas também encontrar outros vestígios dos quais tinha conhecimento.

O nosso primeiro objetivo era chegar a uma plataforma cerimonial localizada no cume de um glaciar. Apesar de ninguém ainda ter visto essa plataforma (depois dos incas, obviamente), o trabalho de pesquisa de Peter e as imagens captadas por satélite confirmavam a sua existência.

Acampamos a 4.600 m durante cinco dias. Foram truncadas as tentativas do arqueólogo Kevin Floerke de chegar ao lugar onde supúnhamos que a plataforma cerimonial se encontrasse, faltaram só 100 m! Acompanhado pelo experiente guia de alta montanha Marco Perez, o arqueólogo Kevin Floerke acampou no glaciar, para chegar ao sítio indicado nas primeiras horas da manhã. Entretanto, o clima traiçoeiro impediu os nossos expedicionários de chegarem ao lugar, mas estiveram suficientemente perto para vê-lo e, assim, confirmar a sua existência.

O nosso segundo objetivo estava localizado a cerca de somente 20 km do primeiro (se traçássemos uma linha reta imaginária entre eles). Levando-se em conta a dura geografia dos Andes, chegar ao segundo objetivo, na realidade, foi uma exaustiva caminhada de três dias, com lama até os joelhos e enfrentando um trilhão de mosquitos diabólicos conhecidos localmente como pumacanchis (“aqueles que fazem o puma chorar” em quéchua). Sem mencionar que o caminho para o nosso objetivo não existia. Por sorte, contávamos com a ajuda dos nossos valentes carregadores, os quais, de facão na mão, encarregaram-se de abrir o caminho para nós.

Conseguimos chegar ao segundo objetivo! Um sítio aparentemente pré-incaico, que Peter havia encontrado no ano passado, agora, era explorado, medido e fotografado. E não foi só isso. Com a ajuda de Tiburcio (o chefe dos carregadores), Peter e Kevin conseguiram descobrir outro sítio arqueológico.

Peter, agora, está trabalhando na estratégia para continuar o seu trabalho. Espera-se uma próxima expedição, em junho de 2014, com a participação do Instituto Nacional de Cultura do Peru e, com sorte, poderemos ocupar um lugar importante na história e na arqueologia mundial.

Para obter informações detalhadas e ver uma boa quantidade de fotografias, visite a seguinte página web:  www.colturvilcabambaexpedition2013.com

Nuestros Bloggers

Ejecutivo(a) de Cuentas
Ejecutivo(a) de Cuentas
Director Gerente
Supervisor
Ejecutivo(a) de Cuentas
Ejecutivo(a) de Cuentas
Ejecutivo(a) de Cuentas
Gerente para Iberoamerica
Supervisor
Ejecutivo(a) de Cuentas